quarta-feira, 26 de novembro de 2014 |

A indústria do Photoshop

Essa semana vazaram as fotos do ensaio nu da Kim Kardashian para a revista Paper. E com elas, vieram também as fotos reais (aquelas sem tratamento, sabe?).

As capas da revista


A foto original ao lado da foto tratada em photoshop

Sinceramente? Eu prefiro muito mais a original!
Cintura extremamente fina, glúteos grandes, nada de "imperfeições" (celulites, estrias, etc), seios grandes e empinados, magreza excessiva, pele bronzeada, cabelos impecáveis. E, por mais que essa foto esteja exagerada, é isso o que essa indústria propõe. É esse o "ideal de beleza" que a grande maioria das mulheres, e até alguns homens, tanto correm atrás.
E isso me fez pensar no quanto essa "indústria do photoshop" é prejudicial para a população, principalmente a feminina, e ainda mais nos dias de hoje, onde, cada vez mais, as mulheres fazem de tudo para chegar nessa beleza "padrão de revista". Beleza essa, que NÃO EXISTE! Hoje, o Brasil é o país líder mundial em cirurgias plásticas, com lipoaspiração, aumento das mamas, aumento dos glúteos, abdominoplastia (retirada do excesso de pele na região abdominal), cirurgia no nariz e orelhas sendo as mais realizadas. E as mulheres são responsáveis por 88% dessas cirurgias, tudo isso em busca desse ideal de beleza.
Todos os dias vemos casos de mulheres, e principalmente meninas, correndo atrás de dietas malucas para emagrecer o mais rápido possível, levando até mesmo à anorexia ou bulimia.
Sendo que, como eu disse, essa beleza padrão de revista não existe, é tudo tratamento de imagem, feito pelo photoshop. Todas as fotos para revistas passam por tratamento, todas. Não existe uma pessoa perfeita (não que isso seja perfeição, que fique claro) e as pessoas precisam entender isso e parar de perseguir tão arduamente algo que nunca será alcançado, porque isso é algo absurdamente prejudicial. Elas precisam entender que toda cirurgia plástica é uma cirurgia, tem riscos. Muitas pessoas morrem todos os anos por entregarem suas vidas nas mão de verdadeiros açougueiros (me recuso a chamar de médico) em busca do "corpo perfeito".


Mas Amanda, então você é contra o uso do Photoshop? Não. O photoshop é uma ferramenta incrível, se usada com moderação. Retirar uma espinha ou outra, retirar aquele os "olhos vermelhos" que as vezes ficam por conta da câmera, escurecer ou clarear uma foto. Mas, com certeza, sou contra esse tratamento absurdo feito nas edições de revistas, idealizando algo que não existe.

E contra a realização de cirurgias plásticas? Muito menos, até porque seria muita hipocrisia da minha parte, que realizei uma. Mas que elas não sejam feitas a torto e a direito, sem a menor consciência dos riscos e consequências que elas trazem. E que sejam feitas pelas mãos de verdadeiros profissionais, com toda uma equipe especializada e realizada em hospital (sim, sou contra cirurgias plásticas realizadas em consultório e por um simples motivo: Melhor prevenir do que remediar).

Mas e sobre fazer dietas? Desde que sejam feitas, mais uma vez, COM CONSCIÊNCIA. Nem sempre uma dieta é feita buscando o emagrecimento, mas sim uma alimentação mais saudável e a perda de peso é uma consequência disso e, na minha opinião, essa é a forma mais saudável de buscar o seu peso ideal, mas sempre consultando um profissional para te orientar.

Só para que fique claro, eu não sou contra uma pessoa ser/querer ser bonita, desde que ela faça isso para si mesmo, para se sentir bem e não para ser algo que ela não é, buscando ser uma "capa de revista", colocando sua vida em risco. Mas sou sim contra essa idealização de mulher perfeita e acho que isso deveria acabar.

E foi pensando nisso que, em 2011, a Global Democracy o projeto “Body Evolution – Model Before and After Photoshop” (Ao pé da letra: Evolução do corpo: Modelo antes e depois do Photoshop). Essa proposta foi criada para que, toda vez que uma modelo tenha o seu corpo manipulado em um computador, o anúncio/revista/qualquer coisa seja obrigado a ter um aviso que indique isso.



O vídeo mostra a mulher real que foi fotografada e como ela ficou depois de toda a edição com o Photoshop.

E você, o que acha sobre essa indústria do photoshop?
terça-feira, 18 de novembro de 2014 |

Aja como uma garota!

Independente de você ser homem ou ser mulher, quantas vezes você já não ouviu algo como "você corre como uma garota" ou "você chuta como uma garota" sempre dito em tom ofensivo, dito justamente para zoar ou ofender uma pessoa. Pensando nisso, a Always (P&G) fez um vídeo pedindo para mulheres, homens, meninas e meninos de diversas idades reproduzirem o que elas pensavam quando alguém dizia "você faz tal coisa como uma garota".
O mais legal da campanha é que as mulheres, os homens e os garotos sempre faziam a tarefa que lhes era dada interpretando de uma forma "fresca", "sem vontade". Já as meninas, quando alguém as mandava fazer algo como uma garota, elas davam tudo de si.

E, depois desse vídeo, eu parei para pensar... Quando que essa nossa concepção sobre "fazer as coisas como uma garota" muda? Porque fazer algo "como uma garota" é ofensa?
Só porque uma pessoa joga mal futebol, ela joga como uma garota? Só porque uma pessoa não luta bem, ela luta como uma garota? Só porque uma pessoa corre toda desengonçada, ela corre como uma garota?
Bom, a Marta joga futebol como uma garota, a Ronda luta MMA como uma garota, eu corro como uma garota e você quer saber porque? Porque nós SOMOS garotas! Então mulher, se alguém te diz que você faz algo como uma garota, sinta-se orgulhosa, pois você está fazendo isso certo!