segunda-feira, 20 de outubro de 2014 |

Abraçando patinhas - Não compre, ADOTE!

Desde que eu e minha irmã éramos crianças, queríamos ter um cachorro. Quase todos os nossos amigos tinham um amiguinho peludo, menos nós, mas sempre que pedíamos a nossos pais a resposta era a mesma, um belo "não", por vários motivos, "não tem espaço no apartamento", "quem vai cuidar?", "quem vai limpar a sujeira?", "quem vai levar pra passear?" e mesmo nos comprometendo a fazer tudo isso, a resposta continuava a mesma.

Até que esse ano, depois de tantos anos insistindo, a minha mãe resolveu que teríamos um cachorro, mas que tinha que ser pequeno pois moramos em apartamento. Então começou a busca, fomos em diversos abrigos, ONGs e até no CCZ (centro de controle de zoonoses), mas só tinham cachorros grandes ou cachorros que ainda não podiam ser adotados por estarem fazendo algum tipo de tratamento. Quando já tínhamos perdido as esperanças de achar um cachorro para adotar, e nos conformado de ter que esperar mais um tempo até que aparecesse um, descobri que naquele dia teria uma feira de adoção perto de casa, então fomos.
Chegando lá, só vimos cachorros de porte médio/grande, então a minha mãe resolveu perguntar para a organizadora se ainda tinha algum cachorro de porte pequeno e a moça gritou para outra pessoa "Ei fulana, traz a Narizinho!". E então veio uma moça, carregando um cachorrinho salsicha, de pelo marrom e com focinho torto que atendia pelo nome de Narizinho. Posso dizer que foi amor à primeira vista haha! Na hora resolvemos adotar, preenchemos toda a papelada, ela passou em consulta com a veterinária e ganhou um RGA (registro que todo cachorro precisa ter, é tipo um RG).

Narizinho com roupinha de inverno, ela detesta.. Haha!

 No começo foi bem difícil, ela latia para tudo, fazia xixi fora do lugar, ninguém podia sair de casa e nem chegar que ela não parava de latir, tinha ansiedade e suspeita de epilepsia. Esse começo foi tão complicado, que a minha mãe pensou em devolvê-la. Mas meu namorado me disse que tinha uma adestradora comportamental que não cobrava nada de quem tivesse adotado um cachorro, então resolvemos dar uma chance, e realmente funcionou. Ela ficou muito melhor, parou de latir e agora faz xixi no lugar certo. E nos descobrimos que, graças a Deus, ela não tem epilepsia e o focinho torto é porque os dentinhos são tortos.

A Narizinho tem 2 aninhos, está com a gente a quase 7 meses e eu posso afirmar que essa foi uma das melhores coisas que já me aconteceu na vida. Eu já não me vejo mais sem essa criaturinha que a cada dia inventa uma traquinagem nova ou aprende algo para nos surpreender. não posso mais viver sem ela que, toda vez que eu chego em casa, faz a maior festa para me receber e que, toda vez que vai passear, encanta a todos com o que foi o motivo do seu apelido, o seu narizinho torto.

Seu jeitinho todo torto de dormir.

E eu contei essa história para incentivar a você, que quer um cachorro, a adotar. Há tantos cachorros que precisam de um lar, de amor, de carinho, e você pode fazer isso por eles, adotando!

Mas para adotar um cachorro, não basta só você assinar um papel e levar ele para a sua casa, precisa exercer a Guarda responsável e os 10 pilares para que ela seja exercida são:

  1. Educação das crianças sobre a necessidade do respeito aos animais
  2. Denúncia e vigilância contra maus tratos aos animais
  3. Castração dos peludinhos pra evitar o abandono dos filhotes não planejados (As ONGs já estão lotadas de cachorrinhos sem dono, se pudermos evitar que essa população aumente, devemos fazer)
  4. Vacinação para todos
  5. Visitas regulares ao veterinário (Assim como você, seu cãozinho precisa de um check up periodicamente)
  6. Conscientização contra os abandonos, principalmente no final do ano
  7. Necessidade de auxílio aos cães e gatinhos mais idosos
  8. Alimentação digna e saudável (Assim como você, seu pet precisa de uma alimentação balanceada com a ração adequada e também frutas, nada de bobagens, animais também ficam obesos e nem tudo o que você pode comer, ele também pode)
  9. Espaços adequados para a diversão e bem-estar (seu cão também precisa se divertir, não é só largar ele em qualquer canto com 2 ou 3 brinquedos)
  10. Higiene constante do local onde moram e também deles mesmo

E um outro que eu também posso adicionar é, como eu disse ai em cima, não é só largar seu pet em qualquer canto da casa com 2 ou 3 brinquedos e pronto. Com certeza ele vai achar muito mais divertido se você for lá e brincar com ele ou se fizer um carinho, um animal precisa da sua atenção, então só tenha um se puder dar isso a eles.

Agora, se você não tem tempo, trabalha o dia todo fora de casa, mora em um lugar muito pequeno ou em um lugar que não pode ter um pet, mas ama esses bichinhos, tem vontade de pegar todos os que você vê na rua e quer ajudar de alguma forma mas não sabe como, saiba que você pode sim ajudar, e eu vou te dizer como.
Os lugares que acolhem esses cachorros de rua, cuidam e oferecem um lugar para que eles fiquem até que sejam adotados, em sua maioria são ONGs (Organização Não Governamental), ou seja, não recebe ajuda alguma do governo e sobrevivem da boa vontade de voluntários que trabalham no local, inclusive veterinários, e da doação de outras pessoas, seja em dinheiro ou em ração, medicamentos, etc, então você pode ajudar sendo um voluntário ou doando.

"Mas poxa, não conheço nenhuma ONG na minha cidade e mesmo assim não teria tempo de ir lá fazer a minha doação."
  
Então os seus problemas foram resolvidos haha! A Max – Total Alimentos conta com um programa de responsabilidade social chamado Max em Ação. No hotsite, é possível localizar ONGs cadastradas no projeto e fazer sua doação através do site, com valores a partir de R$6 (equivalente a 1kg). A cada doação feita para a ONG de sua preferência no site da campanha, a Max acrescenta mais 50% em cima. Ou seja: se você doa 10kg, a Max acrescenta mais 5kg e a ONG recebe, somente na sua doação, 15kg de ração.

Mas esse mês o grupo Rotaroots elegeu como o mês da proteção animal e assim foi criado o projeto Abraçando Patinhas.

 
"Nossa ideia era promover essa blogagem e arrecadar doações para alguma ONG, mas conseguimos algo muito maior do que isso. Em parceria com a Max da Total Alimentos, vamos doar UMA TONELADA de ração para a ABEAC ONG, uma ONG de proteção animal aqui de SP responsável pelo bem estar de cerca de 1100 cães e que sobrevive de doações.".E você pode aumentar essa doação clicando aqui e doando. A doação é feita através do pagseguro e não demora nada. Eu ainda não doei por motivos financeiros (desemprego, ô tristeza), mas com certeza doarei assim que for possível.
Se você tem condições, doe! Garanto que fará, pelo menos, um cãozinho feliz.


Beijinhos!

15 comentários:

  1. mega aprovo essa ideia, fico tão triste quando vejo aqueles animais de ruas passando fome,sede e frio fico com vontade de levar todos p/ casa mas o problema que já tenho 5 gatos que peguei da rua :) beijos e parabéns pelo blog e post

    ResponderExcluir
  2. Ela é linda e vc fez uma ação maravilhosa, existem tantos cachorros que precisam de um lar e mesmo a pessoa não tendo condições de adotar, pelo menos pode ajudar fazendo doações, porque esses anjinhos merecem. Amei o post, parabéns!
    http://meuviciodiario.com/

    ResponderExcluir
  3. Nem me fala, morro de vontade de trazer todos os que vejo na rua. Se o meu apartamento fosse maior, com certeza adotaria muito mais.
    Beeijos e obrigada

    ResponderExcluir
  4. Exatamente. Sempre tem algo que a gente pode fazer para ajudar e sempre tem alguém precisando de ajuda.
    Obrigada :)

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pela iniciativa *-*
    Concordo muito com você, eu mesma tenho 3 gatos, e peguei os três da rua, e amo demais eles!
    Parabéns pelo blog, gostei (:
    Beijos

    www,blogminutodabeleza.com.br

    ResponderExcluir
  6. Pois é. Tirar um bichinho da rua e ser retribuída por ele com muito amor, muito carinho e por uma gratidão sem tamanho, não há dinheiro que pague isso.
    Beeijos e muito obrigada :)

    ResponderExcluir
  7. Owwn que fofaa :)
    Está de parabéns, muito linda sua iniciativa. Que mais pessoas possam fazer isso também!
    Beesos

    ResponderExcluir
  8. Eu super adoto essa campanha do rotaroots <3 acho bem bacana esse incentivo! Quanto mais gente sabendo melhor! *-* Eu ainda não tenho um bichinho de estimação mas minha mãe sempre alimenta gatinhos que aparecem por aqui, então considero meus irmãos! <3 Beijos
    Enfim, resolvido!

    ResponderExcluir
  9. Hahahha que coisa mais fofa. Amei a atitude da sua mãe *-* Afinal, a gente ajuda como pode, certo?
    Também acho que quanto mais espalharmos essa ideia, mais animais podem ser retirados das ruas!
    Beijoos <3

    ResponderExcluir
  10. que cachorro mais fofinho, sou apaixonada por cachorros, odeio quando passo pela rua e vejo um todo machucadinho! :( Eu tenho 3 , são lindas, amo demais, a labrador é a mais brincalhona *-*

    http://mocadebatom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Também amo cachorro e morro de dó quando vejo na rua. Sempre que posso ajudo os mendigos que tem cachorro com um pacotinho de ração.
    Eu adoro labrador, meu sonho é ter um.. hahahha
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Parabéns pelo blog e, principalmente, pela atitude de adotar um animalzinho! Se mais gente tivesse o coração como o seu, o mundo seria melhor! :)

    Tenho dois cães, não foram adotados, foram comprados, mas minha mãe (que mora em outra casa), adotou uma cadelinha que se chama Lolla, e é o cãozinho mais inteligente que eu já conheci! :)

    Beijos!

    Vivian
    http://diasdesol.com.br

    ResponderExcluir
  13. Acho que só por se dar amor e carinho a um animalzinho já é algo de se admirar, independente se é comprado ou adotado, todos merecem! Lógico que prefiro tirar um cãozinho da rua a comprar, mas não condeno quem compra, desde que ame e cuide como eles merecem!
    Beijoos

    ResponderExcluir
  14. […] 5- O primeiro cachorro. Só esse ano que eu tive a felicidade de poder ter um cachorrinho e nós adotamos a Narizinho. Você também pode conferir a história da adoção aqui. […]

    ResponderExcluir